Quarta-feira, 4 de Maio de 2011

Ofereceram-me uma flor. Eu sorri. Mas fiquei a olhar para aquela coisa, já na minha mão, sem saber o que lhe fazer. Ia ter que andar com aquilo na mão a noite toda?  E como é que dançava? E como é que fumava e bebia ao mesmo tempo?

Apelidaram-me logo de esquisita. Qual é a mulher que não gosta de receber flores? Pelos vistos, eu!

Flores, tal como os voucher da Fnac, é a aposta segura de quem não está para se esforçar e pensar no que há-de oferecer. De quem não está para observar, escutar, conhecer, descobrir, o que o outro gosta. De quem não está para se sacrificar e fazer o que não gosta ou aprecia fazer mesmo que seja algo que o outro gosta ou aprecia fazer. De quem não sabe distinguir o que é importante, essencial, do que é acessório para a outra pessoa. De quem não faz ideia quem é a pessoa que está à sua frente.

É a surpresa de quem fez asneira e tenta comprar o perdão.

Um acto que, de tão banalizado, se tornou vazio.

E por que razão haveria eu de me surpreender por ainda haver tanta gente a oferecer e a gostar de receber flores?

Numa sociedade em que o velhinho que mora ao lado morreu em casa há meses sem que alguém se desse ao trabalho de arrombar a porta, por que razão as floristas (e os indianos) não haveriam de passar ao lado da crise?

 

Mas não me entendam mal, eu gosto de flores. Não gosto de coisas sem significado, de actos vazios ou forçados.

Preferia que, quando me quisessem surpreender, não me as oferecessem, ou pior, que as mandessem entregar; Preferia que, por exemplo, me convidassem/levassem a ver e a cheirar as flores no seu habitat natural: num jardim.



publicado por Brunhild às 21:47 | link do post | comentar

mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds