Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2009

Fui ao banco! Eu sei, eu sei... Ir ao banco é coisinha tão século passado. Já ninguém vai ao banco. Mas eu fui. Teve de ser.

Fui ao banco, visitar o bancário com nome (e voz) de poeta, e resolver um assunto menor. Coisa rapidinha, portanto.

Cinco minutos depois, regresso à minha viatura, e deparo com uma outra, com os quatro piscas ligados, a barrar-me a saída do estacionamento. 12h15. Esperei.

 

Acendo um cigarro e aproveito para dar uma limpeza geral aos talões meticulosamente guardados na carteira. 12h22. Apago o cigarro.

 

Mergulho na mala SpotBilly e desencanto de lá um kit manicure. Dou um jeito às unhas das mãos. 12h25.

E dos pés também. Já agora. 12h29

 

Descubro uma pinça e retoco uns pelitos rebeldes das sobrancelhas. 12h32.

 

Começo a ferver em pouco tempo. 12h33. Buzino.

 

Pego numa toalhita e limpo o tablier. 12h35... Entro em ebulição.

 

Começo a imaginar o que vou dizer e fazer à criatura dona daquela viatura muito bem sinalizada e estacionada em segunda faixa de rodagem.

Só pode ser um gajo. Só pode! 12h36

 

Se for interessante (leia-se "giro que se farta"), dou-lhe o meu cartão e digo-lhe que tem que me compensar, muito bem compensadinha. Entro em devaneio. 12h37

 

Se não for interessante, assumo o meu ar I'm too sexy for your party e passo-lhe um raspanete daqueles! 12h38

 

Mas que raio de pessoa deixa o carro mal estacionado e vai à sua vidinha, assumindo que a sua é melhor, e mais ocupada, do que a minha, só porque é a sua?! 12h39. Buzino!!!

 

Já não quero saber se é muito ou pouco interessante. Só quero que apareça. Estou possuída! Vai ouvir poucas e boas! 12h39m45s

 

Vejo alguém muito apressado dirigir-se à viatura. Fulmino-o com o olhar.

- Mil perdones! Fueran dos minutos., atira a criaturinha.

(«Mil perdones», uma ova, seu espanhol duma figa! Deves pensar que tenho a tua boa vida!, penso. Mas não digo.)

- Estou aqui há... (confirmo as horas: 12h19 - huh?! só?!) mais de 10 minutos!!!, minto descaradamente.

 

Empino o nariz e ponho o carro a trabalhar, engatando imediatamente a marcha-atrás, como quem diz Ou te despachas ou passo-te a ferro!

 

Estou pior do que podre! 12h20. Bolas! Já não dá para ir à cabeleireira. Por causa do estúpido do espanhol!

 

Bem, que se lixe. Nem tudo está perdido. Vou dar um salto ao shopping.



publicado por Brunhild às 15:00 | link do post

De Ortlinde a 3 de Dezembro de 2009 às 11:54
AH AH AH AH !!!!

as unhas dos pés não acredito! e os homens não estacionam assim, não sejas má!

muuuuuito bom!


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds