Segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010

Uma das minhas actividades preferidas é deitar-me a ouvir música. E não fazer mais nada. A não ser inspirar e expirar. Se passarem das 20h, é bem possível que eu convide uma garrafa de vinho para me fazer companhia. Mas não foi o caso, ontem.

 

Encontrava-me muito bem, esticada, de olhos fechados, quando o suffle me trouxe esta música. And if you're feeling cross and bitterish, Don't sit and whine... Just put a happy face.

Abri o olho direito, espreitei pela janela: sol. O que é que eu estou a fazer fechada aqui em casa?!...

Resolvi sair! Arrastando comigo os meus inseparáveis companheiros: o meu leitor de mp3 e os meus cigarros. Oupa! Vamos fazer fotossintese.

 

Foi um longo passeio pela cidade mais bonita do mundo, que soube pela vida, acabando com um capuccino, com aroma a maresia e vista para o mar.

 

Foi nesta momento que o shuffle voltou a intervir, trazendo-me algo que não reconhecia. Consultei o leitor de mp3: Tiago D., "Outono". Que raio! Quem é este e de onde é que isto surgiu?! A muito custo, puxei pela memória, até que se fez luz... Eu explico.

Há meses, um amigo do Facebook, partilhou um link de um set, feito por ele, dedicado ao Outono. Eu achei aquela ideia fantástica. Alguém fazer uma compilação inspirada no Outono - Olá, Alta Fidelidade! Um dos meus filmes favoritos. - e partilhá-la no Facebook.

 

Eu, cheirinhas que sou, não me fiz de rogada, visitei o link e trouxe o set comigo. Passei-o para o leitor de mp3 e nunca mais pensei naquilo.

 

Só ontem, quando aquela música invadiu o meu momento, no momento certo, tornando-se na mais perfeita banda sonora, voltei a pensar naquilo.

Grande Tiago! E até jurei enviar-lhe uma mensagem, agradecendo. Mas entretanto, mudei de ideias. Provavelmente iria soar a coisinha de gaja lamechas ou interpretada como uma tentativa de engate barata e bem corriqueira.

 

No entanto, não consigo deixar de pensar em como a vida é...

Ontem à tarde, alguém desfrutava de um belo momento à custa de outro alguém, que não conhece, que faz a menor ideia quem seja, de quem nada conhece, a não ser o nome e o excelente gosto musical. E um grande prazer na partilha.

Um grande bem haja para ele.

 

Obrigada, Tiago. 



publicado por Brunhild às 12:43 | link do post | comentar

2 comentários:
De naovouporai a 23 de Fevereiro de 2010 às 16:19
e viva a partilha :D


De Brunhild a 23 de Fevereiro de 2010 às 18:02
VIVA!!! :D


Comentar post

mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds