Domingo, 20 de Março de 2011

«Apesar de momentaneamente ter sentido a sua criatividade bloqueada, por não conseguir permanecer indiferente à escalada de violência, viu-se na necessidade de continuar a trabalhar na obra sob o risco de não a conseguir acabar a tempo. No entanto, a pressão emocional sentida foi de tal modo intensa, que a compositora se permitiu absorver na criação de Neharót Neharót o que nas suas palavras chama de "as vozes da realidade", ou seja, o som do lamento e da tristeza das mulheres, mães, viúvas e irmãs que perderam os seus familiares nessa guerra e cujo canto fúnebre e voz lhe chegava em directo pela televisão.»

 

«Esta obra é dedicada a todas as mulheres e crianças que vivem em zonas de guerra. Com a metáfora do título da obra "Rios Rios", Olivero pretende aludir às lágrimas vertidas pelas mulheres durante os lamentos e cantos fúnebres pelos seus entes queridos, mortos em situações de catástrofe. Espelhando também a dualidade contrastante típica do pensamento da compositora, este título lança-nos para um caminho de Esperança, uma vez que a raiz da palavra hebraica "nahar" que significa "rio", se assemelha à palavra "nehara" que significa "raio de luz".»

 

por Luís Norberto (retirado do programa do concerto da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música)

 

 



publicado por Brunhild às 03:58 | link do post | comentar

mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds