Sábado, 15 de Dezembro de 2012

No meio da multidão, vejo-te. Estás de costas e envergas um casaco igual a tantos outros que também o envergam à tua volta. Mas sei que és tu. Mais ninguém posiciona a cabeça assim em relação ao tronco, é ângulo único.

Dirijo-me a ti.

Aguardo os teus movimentos; Tento perceber se falas ou escutas, se gesticulas enquanto o fazes, se a conversa te interessa. Tento que o teu corpo te denuncie e me diga qualquer coisa: se estás feliz, triste, cansado, bem disposto, o que for. No fundo, tento perceber, enquanto me aproximo, se tu ainda és tu. 

Já estou tão perto que já escuto as vozes dos intervenientes na conversa. Mas da tua, nada. Presumo que escutes. O teu corpo ainda nada me disse. O enquadramento é tão perpendicular que o campo de visão nada mais me deixa ver a não ser as tuas costas, as tuas calças de ganga, as tuas sapatilhas - que me sacam um sorriso - e as quebras do teu cabelo.

Dada a minha aproximação, a conversa cessa enquanto me dirigem o olhar. Pressentindo, começas a virar-te. Sustenho a respiração como a preparar o embate. Tu viras-te. Eu acordo.



publicado por Brunhild às 20:26 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds