Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009

O "Big Brother " está mesmo a segui-lo

 

 

A minha ideia do chip atrás da orelha nunca fez tanto sentido. É para lá que caminhamos, porque não cortar caminho?!

 

Para quem não está a par desta minha ideia, eu explico, muito resumidamente, porque tenho um cliente em espera ao telefone.

 

Colocava-se um chip em cada recém-nascido. Eu sugiro atrás da orelha, para ser discreto. Como se faz com os animais.

Mas, se lhe quisermos dar um ar mais avant garde, pode-se optar por colocar o chip no meio da testa.

 

Toda e qualquer informação sobre a nossa pessoa deveria ser armazenada nesse chip. Além da informação contida no CU - ou Cartão de Cidadão, ou lá como se chama o cartão - pode ainda armazenar-se toda e qualquer outra informação considerada relevante. E irrelevante também.

Já imaginaram as possibilidades?!

 

Por exemplo, este chip deveria emitir um sinal, tal como os chips que querem instalar nas matrículas dos carros. Acabavam-se os raptos e as chamadas das namoradas inseguras a pedir para passar no mercado à vinda do trabalho porque estavam sem leite. Acabavam-se as pulseiras electrónicas.

E, por falar em pulseiras electrónicas, lembram-se de eu vos falar naquelas pulseiras que se programavam com os gostos pessoais de cada um e depois se activavam para que procurassem the perfect match? Mais uma funcionalidade do chip!

Fantástico, huh?

E muitas mais! Isto seria a solução para quase todos os problemas do mundo, se vocês pensarem seriamente no assunto durante mais do que 30 segundos.

E só não vai para a frente porque mexe com muitos interesses.

 

Da última vez que partilhei esta minha ideia com alguém (a caríssima colega Dr.ª Maria dos Prazeres, de Santa Comba Dão), sugeriram - ou sugeriu - que o chip tivesse a funcionalidade "Pílula". Ou seja, libertasse na corrente sanguínea substâncias que substituíssem a pílula.

Mas isso... eu não sei se será possível!

E complicaria muito as coisas. Teriam de se construir dois chips: um feminino e outro masculino. E dentro do feminino, teria de existir com "Pílula" e sem "Pílula". Ou, melhor seria, opção "On"/"Off".

Contudo o chip poderia ter a opção "Lembrança" e dar um choquezinho à data e hora programada. Melhor que nada, certo?

 

Agora não tenho tempo para mais, o cliente está à espera há cinco minutos, prontinho para me chatear. Mas vocês podem ir dizendo que funcionalidades gostariam de ver incluídas no chip. Ou não.


música Pós-modernos de GNR ou Olhó Robot de Lena d'Água

publicado por Brunhild às 10:48 | link do post

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds