Sexta-feira, 16 de Outubro de 2009

Aproveitei a hora de almoço para fazer qualquer coisinha de útil: ir às compras. Aproxima-se um jantar muito importante e eu, pobre valquíria, não tenho um trapinho de jeito para usar em tal evento.

 

Dirigi-me ao shopping e bati perna feita dondoca.

Vários Provadores depois, et voilá!, tinha encontrado O vestidinho preto, com o qual nunca me comprometo. Mais um... Não será à toa que sou uma valquíria livre e descomprometida.

Aproveitei a viagem e comprei também uma carteira preta, que ficava a matar com o tal vestidinho. Das cinco carteiras pretas que tenho, nenhuma ficava ali bem. E comprei também uns brincos. E umas pulseiras. E um anel. E um rímel novo, que me deixa as pestanas a bater nas sobrancelhas. E um gloss novo. E uns collants super giros. Ah!, e à última da hora, ainda comprei mais uma flor para o cabelo. Para juntar à minha colecção...

 

Depois de tamanha canseira, achei que merecia comprar algo para mim. Dirigi-me à livraria. O livro que estou a ler está a meia dúzia de páginas do fim...

 

Ao entrar na papelaria esbarro com um colega de curso, muito bem acompanhado por um colega de trabalho. Olá, tudo bem? Estás tão diferente... Que fazes? Onde trabalhas? A crise. O mercado de trabalho (ou a falta dele). Tens estado com o pessoal? Vais ao jantar amanhã? E o blábláblá do costume... Eu ia respondendo conforme me era possível sem tirar os olhinhos daquele deus grego, que se limitava a sorrir das parvoices que eu ia debitando a muito custo. As mulheres também têm a mania de se armarem em engraçadinhas quando estão sob... stress.

Feitas as devidas despedidas Até amanhã./Foi um prazer., procurei lembrar-me do que tinha ido fazer à papelaria.

 

Deambulei pela loja à procura do livro que queria, sem sucesso. A desconcentração era tanta que optei por solicitar ajuda a um funcionário.

 

Já de livro na mão, aliás livros porque o mesmo é composto por dois volumes, dirijo-me à caixa.

Distraída, de cabeça enfiada dentro da carteira à procura do porta-moedas no meio de tanta tralha, só vim a mim quando ouço Simone de Beauvoir... Não diria... ao pé do ouvido.

Ele, o deus grego, quase colado a mim todo ele sorrisos, segurava o livro que todos os TOC têm na mesinha de cabeceira por estes dias.

- Nunca gostei de ler best sellers., retorqui no meu ar angélico-safado, olhando para o livro que ele segurava . Ao que ele respondeu de brilhozinho nos olhos com um aberto sorriso.

- O *deus grego* decidiu ir ao jantar de amanhã também., interviu o meu colega. Afirmação que me sacou um contido sorriso e um ligeiro rubor na face.

- Acho que sim. Vai ser divertido., aligeirei, tentando minimizar os estragos internos causados por aquela notícia de última hora.

- Pois, foi o que eu pensei., atirou em tom irónico, o deus grego, sorrindo divertido.

 

Mais que homens bonitos, são os sorrisos bonitos o meu ponto fraco. E o humor inteligente.

Mayday!, Mayday!, gritou o meu cérebro.

 

Contas feitas à vida, despedi-me novamente, desta vez com um promissor Então, até amanhã!... e regressei para o segundo round de trabalho, contentinha da vida.

 

Já desmarquei os compromissos que tinha para hoje à noite.

Vou suspirar pelo dia de amanhã e fazer um belo soninho de beleza.

Amanhã acordo cedinho para ir à manicure e regressar ao shopping porque acabei de me lembrar que, dos quatro pares de sapatos que tenho, não há um par que fique bem com O vestidinho preto...

Ser gaja não é fácil!

 

Agora, sim: bom fim-de-semana!...

 

 

 

 

 

 

* A quem me perguntar se esta história é real ou ficção, eu responderei com um sonoro rosnar: Vai perguntar isso ao Murakami, vai! E aproveita para lhe dizer que eu não aprecio nadinha as coisinhas que ele escreve.


sinto-me

publicado por Brunhild às 15:27 | link do post | comentar

3 comentários:
De am a 21 de Outubro de 2009 às 14:32

os homens também ficam nervosos no primeiro contacto, no minimo apreensivos, é sempre uma pessoa nova.

caso demonstrem um retorica muito bem fluida ou demasiado bem preparada ou estruturada, quer dizer é que já estão habituados e peparados =)

good luck
am


De Brunhild a 21 de Outubro de 2009 às 18:02
Pois ficam. E eu não lhes facilito, em nada, a vida...

Eu não acredito em sorte, mas obrigada! *


De Ortlinde a 21 de Outubro de 2009 às 22:39
puxa, já estava com saudades de ler estes textos! que xiiiiro!


Comentar post

mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds