Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2008

Agora que o Natal já se foi, posso voltar a ter os meus acessos de fúria e ataques de mau feitio fulminantes. Por isso, ACORDEI MAL DISPOSTA!



Está um frio de rachar para sair da cama tão cedo. Devia ser proibido sair da cama quando a temperatura fosse inferior as 15º. Ninguém merece!


Depois de dois dias passados no quentinho do lar, aquecido pelo amor da família toda reunida (E pela lareira, obviamente. Que o amor só aquece os corações. As mãos e os pézinhos só mesmo a lareira.), ter de enfrentar este frio, é o meu pior pesadelo.


Sou a pessoa mais friorenta do mundo! E arredores! Só gosto do quentinho. Mas, como sou filha do Inverno, esta é a minha estação do ano preferida. Parece um contra-senso mas não é. Só que também não me apetece explicar. Como disse, ACORDEI MAL DISPOSTA! Por isso, amanhem-se como quiserem. Tirei as vossas conclusões. Aliás, como tão bem (not) costumam e gostam de fazer.



Também deveria ser proibido acordar com o despertador. Qual é a pessoa que consegue acordar bem disposta com aquele som irritante? Eu tentei contornar a situação, programando o meu telemóvel 3G para despertar com uma das minhas músicas preferidas. Mas, o efeito não está a ser o desejado. Em vez de acordar mais bem dispostinha, estou a um passo, de bebé, de começar a odiar a música.


Devíamos ser livres para acordar quando tivéssemos dormido tudo e a ir para a casa só quando o João Pestana ataca com toda a sua força. Assim como a comer só quando se tem fome e não às horas que alguém achou por bem estipular.



Toca o despertador, ponho a mão de fora, pronta a mandá-lo contra a parede. Mas depois lembro-me que é o meu telemóvel novo e recuo. Deito o nariz de fora e sinto aquele frio todo. Mais cinco minutos. Os cinco minutos tornam-se mais cinco. Depois mais cinto. Só mais cinco. E ainda mais cinco. Agora é mesmo: mais cinco. Está na hora. Não, ainda posso ficar mais cinco. Pronto, agora é que estou atrasada.


O caminho até ao quarto de banho é feito ainda de olhos fechados e a tilintar de frio. Nestas alturas pergunto-me sempre por onde andará o aquecimento global...


Ponho a água a correr e ela saí fresquinha. Que bom!...


Numa corrida contra o tempo, arranjo-me e saio de casa, agasalhada até aos dentes, quase à hora que devia estar a entrar na empresa.



Trânsito, nem vê-lo. Serei a única pessoa a trabalhar hoje? Algo que me deixa AINDA MAIS MAL DISPOSTA! Não por não poder ficar em casa, com o meu pijaminha vestido, no quentinho da minha caminha, agarrada à minha almofada, mas por o resto do país não estar a aguentar este frio que se entranha só nos meus ossos. Que país terceiro mundista!


E lá vou eu até à empresa, a pensar na razão pela qual tive de nascer neste cantinho mal amanhado e friorento.



Estando mal disposta e atrasada, faço o percurso casa-trabalho em tempo recorde. Chego a horas ao emprego! Sete minutos de atraso é chegar a horas. A última vez que isso aconteceu foi há tanto tempo que já nem me lembro. E este pensamento DEIXA-ME AINDA MAIS MAL DISPOSTA!



Antes de começar a trabalhar, tenho de esperar que a má disposição, pelo menos, atenue um pouco. Caso contrário, o trabalho não rende e ainda insulto alguém pelo telefone que, felizmente, está sossegado.


Passeio pela net. Vou oferecer-me uma viagem pelo meu aniversário. Preciso de sair daqui. ESTOU FARTA!


Só não sei se me aventuro sozinha ou se procuro companhia. Hoje, estou inclinada para ir sozinha. ESTOU MAL DISPOSTA! Não me apetece aturar ninguém. Mas, amanhã, ou daqui a pouco (comigo nunca se sabe!), já posso ter mudado de ideias.



Toca o telemóvel. Número privado. "Tou, tou." Mas parece que não está ninguém! Porque é que me fazem isto?! Para que ligam se não vão falar? Para ouvir a minha voz? Eu mereço? Ainda inspiro com vontade, para depois disparar tudo o que me vem à mente, mas opto por desligar sem dizer nada. No estado que estou, a coisa não ia com toda a certeza acabar bem. O que é que acontece? Adivinharam! Fico AINDA MAIS MAL DISPOSTA!



Em dias assim, em que tudo parece correr mal, o que se costuma dizer é: hoje não devia ter saído de casa! Irónico, huh?!



Felizmente, tenho um boss que me adora (e com motivos para isso) e acaba de me dizer para eu ir embora. E eu vou, já!



Vou a correr para casa e voltar a enfiar-me na caminha. Com sorte, adormeço imediatamente e consigo riscar este dia do meu calendário.


Ou talvez acorde mais tarde e finja que o dia só agora está a começar. Tomarei uma banhoca de água quentinha, com direito a esfoliação e máscara de cabelo, vestir-me-ei com todo o cuidado, de preferência o vestido que faz tanto sucesso e irei cair na night.


Nada melhor que tomar um copos com os amigos, jogar conversa fora, dar umas gargalhadas parvas e abanar a perninha, para esquecer o dia chato que "não" tive.



Frio logo à noite? Que frio?!...



publicado por Brunhild às 17:40 | link do post | comentar

mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds