Quinta-feira, 19 de Novembro de 2009

Lia um texto aqui, sobre o Respeito aos Filósofos, e eis que dou de caras com isto:

 

"O que não me mata torna-me mais forte.

Disse-o Nietzsche, mas também o dizia a minha avó, que nunca ouviu sequer falar de Nietzsche. E até já a avó da minha avó o dizia também, só que de uma forma ligeiramente diferente: o que não mata engorda. Mas basta pensar um pouco para ver que tanto Nietzsche como a minha avó foram algo precipitados a tirar conclusões, o que se desculpa mais à minha avó do que a Nietzsche. A ideia de Nietzsche é a de que a vida é para ser vivida sem restrições, sem disfarçar a dor e a alegria, como acontece com os mais fortes e corajosos, que nada recusam. Assim, dar o peito às balas é próprio dos mais fortes. Só que há balas que não matam mas moem, deixando-nos fracos e feridos para o resto da vida. Nem Nietzsche nem a minha avó foram incapazes de evitar uma falácia muito comum: a falácia da generalização precipitada."

 

 

 

Há algum tempo, numa Noite de Poesia no Púcaros, esta era a frase do dia. Os que iam passando, iam lendo e dizendo É Nietzsche, é Nietzsche. Como se tudo o que foi dito por Nietzsche fosse lei.

Esta frase é uma delas. É um disparate! Não é um total disparate, mas não deixa de ser um disparate.

 

Nietzsche era  doente! Um louco, com inteligência acima da média, que aspirava usar collants azuis e capa vermelha.

Sim, a obra dele é interessante. Ele desconstruiu muitos preconceitos e ilusões, colocou o dedo em muitas feridas. Tendo construído um mundo muito próprio, à medida da sua loucura, onde ele poderia sobreviver. Curiosamente, um mundo onde as mulheres tinham um papel secundário, submisso. Claro! Ele nunca teve sorte com elas!

 

Há tempos alguém colocou no Facebook uma citação dele: "Na vingança e no amor a mulher é mais bárbara do que o homem." 

E seguiram-se "Apoiados" de muitas mulheres (!!!) e de alguns homens.

Mais bárbara?! Na vingança e no amor? Quando a maior parte dos crimes passionais, que até chocam  de tão violentos, são levados a cabo pelos homens?! Por continuar enraizado nas suas mentalidadezinhas que a mulher é um subproduto do homem, propriedade deles, e deve ser submissa. Sempre bonitinha e obediente. Até pode ser inteligente, desde que não esqueça o seu lugar.

 

Poupem-me!

 

Há muitos conceitos, ideias e pormenores brilhantes em Nietzsche, há. E sim, ele revolucionou e contribui muito para o pensamento filosófico do século passado. Mas não façam dele o rei que ele não é. Se o fizerem, eu digo, o rei vai nu. Pronto, pronto, como está muito frio, digo só que ele vai em ceroulas.

 

 



publicado por Brunhild às 11:30 | link do post | comentar

mais sobre mim
cavalgadas recentes

Álbum: raízes

hold on to your dream

O efeito Gabriela

Cindafuckin'rella, precis...

Sonata de Outono

Olá!

...

paradoxos, incongruências...

espreitar

não gosto

ás vezes

O supremo verbo da humani...

as coisas que eu ouço

e esse Natal, como foi ?

Albúm de fotografias

reencarnação deferida

retratos da vida a 2

Toc Toc ?

leva-me aos fados

in a dark place #1

comentários recentes
A perda não foi minha. Esta, pelo menos. Mas um di...
Vive-se segurando a dor na dor dos outros. Tentand...
ah pois é! :)
ahhhh... a bela juventude!!! :P
e tu achas que eu não penso nisso? tenho mais medo...
porque alguém - Walt Disney?! - nos disse que para...
a ver por algumas parideiras que por aí e por aqui...
sim, se assim não fosse a humanidade não existia. ...
Maria, obrigada por leres o nosso blog. Beijinhos
Qual é o supremo verbo da humanidade, parir?!...Se...
outras cavalgadas
cavalgadas arquivadas
subscrever feeds